terça-feira, 16 de outubro de 2018

Paróquia-Resgate



Tem coisa que o ser humano não faz sozinho.
Deus teve um papel fundamental no meu 
salvamento da fé no mundo esse ano.
Eu sempre acreditei em Deus, nunca me senti
agnóstica ou adepta do ateísmo porque eu sempre
me senti conectada com uma coisa muito forte,
muito grande, muito poderosa, muito inexplicável
que eu sempre soube que era Deus.
Em épocas diferentes da vida a gente afasta mais essa
força de nós ou a gente busca ela como único recurso 
possível, e comigo não foi diferente.
Precisei passar por certos calvários para precisar de 
Deus de novo e buscar socorro com mais força.
Desde o ano passado, durante minha segunda gravidez
que eu não conseguia lidar internamente com essa onda
reacionária pela qual a cabeça de muitas pessoas anda
passando. Eu estava achando que era um problema 
do meu trabalho, um problema isolado, depois fui 
percebendo a onda local em Brasília, depois observei
em nível nacional, e por último global. Eu estava me 
perdendo, me sufocando. Problemas na minha família 
também se apresentaram e foi aí que vi que precisava
de ser guiada, pega pela mão, encaminhada pro colo.
Fui numa missa numa paróquia franciscana aqui perto
da minha casa e esperei tudo acabar para pedir ajuda
pessoal ao padre. Conversamos por mais de uma hora.
Ele me acolheu como se eu sempre tivesse estado ali,
como se me conhecesse, e desde março venho seguindo
todas as instruções dele para lidar com tudo isso e com
meu trabalho, numa instância de amor com meus alunos.
E muito mais amor, cuidado e dedicação para minha 
família. Explicável para uns, inexplicávelmente para 
outros, tudo melhorou, não somente em nível pessoal,
mas pedi a Deus para me tornar veículo de cura e fé e 
assim Ele o fez e nos meus âmbitos mais próximos 
tudo que aconteceu se resolveu porque todos se dedicaram.
O Padre me pediu algumas coisas e eu venho seguindo
tudo como um soldado: passar pelo sacramento do Crisma
foi minha primeira jornada pessoal, tenho estudado desde 
o semestre passado para o dia em que receberei este 
sacramento. Realmente aprofundar me fez entender certas
coisas sobre a espiritualidade, independente da religião
na qual a gente se encontre com Deus, disciplina e dedicação
fortalecem nosso vículo e abrem caminhos mentais de
poder, como o canal com o anjo da guarda, no catolicismo.
O Crisma também se chama Confirmação, é o ritual pelo
qual se passa para confirmar que você quer fazer parte de
verdade daquilo tudo que é oferecido. Confirmarei minha fé
totalmente consciente e por certeza. Escolhi para ser minha
madrinha de Crisma uma tia muito especial do meu marido,
cuja fé sempre foi um exemplo e uma fonte de admiração. 
Ela aceitou e estamos indo rumo aos ensaios para a cerimônia,
afinal são todos os crismandos e madrinhas/padrinhos juntos,
e não dá pra ficar perdido. Abençoar minha união de 11 anos
é o próximo passo, e por último, batizar nossos filhos.
Graças a Deus tenho uma união com alguém que respeita e 
acompanha e estimula meus processos pessoais, não há nada 
que ele não tenha apoiado na minha vida em termos de processos
revolucionários da minha alma, desde que estamos juntos. 
Faço sempre um esforço para que o contrário seja verdadeiro,
e que eu consiga o apoiar em seus processos, cuidando e amando,
como ele faz comigo. Quero ser cúmplice um dia como ele tem sido.

É isso, partiu Crisma com nossas famílias testemunhando minha
caminhada de fortalecimento e aprofundamento da FÉ,
no dia do aniversário do meu cunhado, meu irmão postiço.

https://www.youtube.com/watch?v=MxPsWzSh6Lg