segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O mar serenou


O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
O pescador não tem medo
É segredo se volta ou se fica no fundo do mar
Ao ver a morena bonita sambando
Se explica que não vai pescar
Deixa o mar serenar

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
A lua brilhava vaidosa
De si orgulhosa e prosa com que deus lhe deu
Ao ver a morena sambando
Foi se acabrunhando então adormeceu o sol apareceu

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
Um frio danado que vinha
Do lado gelado que o povo até se intimidou
Morena aceitou o desafio
Sambou e o frio sentiu seu calor e o samba se esquentou

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia
A estrela que estava escondida
Sentiu-se atraída depois então apareceu
Mas ficou tão enternecida
Indagou a si mesma a estrela afinal será ela ou sou eu

O mar serenou quando ela pisou na areia
Quem samba na beira do mar é sereia

(Clara Nunes)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Ready.


Estou pronta. É esta a hora de ler Wittgenstein.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Seleção de Mestrado


Eu já imaginava que teria ansiedade nesse processo de seleção.
Mas não imaginei que seria tanta. Principalmente sendo esse
processo diferente dos outros... ele tinha alguns fatores muito
mais positivos em relação a outros, e.g. meu nome não foi exposto,
meu nome era 18. Isso é muito confortável. Fora isso, como em
outras provas, eu poderia fazer novamente, caso eu não
tivesse sido aprovada. Mestrado em Literatura era um sonho.

Mas a questão é: quando comecei a ler os textos do edital
(o edital antigo) tive muita dificuldade, principalmente
com os autores que escrevem de forma quase filosófica e só
para aqueles que já estão inseridos no topo da área de estudo.
Auerbach comeu meu cérebro e nunca mais devolveu a parte que
que ele engoliu sem temperar, e Alfredo Bosi, era tão lindo
com seu livro "O ser e o tempo da poesia" que não consegui
arquivá-lo na minha cabeça como um livro técnico, e sim como
um longo e belo poema! Comecei a entrar em pânico imaginando
sem chegar a nenhuma conclusão COMO SERIAM ABORDADOS AQUELES
LIVROS, TEXTOS, MANIFESTOS, na prova escrita e na oral.

Comecei a estudar em maio, comprei os livros, fui estudando.

Julho. O edital muda bruscamente. Eight brand new books, os 8
anteriores foram eliminados do edital novo, não sobrou nenhum
texto em comum, e eu já estava a meio caminho andado nas leituras.
Quando o edital mudou, eu tinha apenas 3 meses. Isso dando aulas
em sete turmas, duas escolas, cuidando de certas coisas em casa
e ainda me veio o BRAZ-TESOL, a minha chance de apresentar o meu
projeto de leitura com as crianças e adolescentes para várias
escolas e de me arriscar para receber um certificado não de
participação, mas de apresentação de session. Mais leituras, fotos
dos projetos caminhando, pesquisa, 20 slides... ESTRESSANTE!!!
Mas deu tudo certo, eu consegui organizar minha agenda de uma
forma que umas 4 horas por dia, em gaps diferentes eram separados
para o estudo sistemático do edital. E uma hora por dia para o
projeto e sua respectiva apresentação no BRAZ-TESOL. A organização
me salvou de tudo o que poderia ter dado errado. Nada explodiu na
minha casa, não faltou nada na apresentação, não fui para a prova
com nenhum texto incompreendido.

Foram quatro provas nessa seleção: uma de língua estrangeira (escrita),
a outra sobre os textos do edital (escrita), um projeto de pesquisa
(escrito) e uma arguição teórica (oral).

Resolvi escrever esse texto para aqueles aleatórios que estiverem
em pânico com suas provas e procurarem dicas online, eu fiz isso
também, e me ajudou MUITO. As pessoas muitas vezes têm dificuldades
que outras também tiveram, aprender com a experiência do outro pode
ajudar muito em um processo que envolve tanto estresse. Os sites que
encontrei, apesar de parecerem bobos e ingênuos, me deram um desenho
do que eu pude adaptar para a minha realidade, e deu muito certo:

http://cafedocente.blogspot.com/2007/11/entrevista-no-mestrado-e-doutorado.html

http://www.posgraduando.com/tutoriais/como-se-preparar-para-a-entrevista-do-mestradodoutorado

http://cienciasocialceara.blogspot.com/2010/01/dicas-de-como-se-comportar-durante-uma.html

Por incrível que pareça, cada um desses sites me deu uma dica valiosa,
cujo valor só entendi na hora da prova oral, principalmente em termos
de subordinação ideológica, estudo sistemático do projeto de pesquisa
e da metodologia escolhida e o porquê dela.

Espere por insônia, pesadelo, dor de estômago, dor de cabeça... é normal.
Uma dica com a insônia: quando ela bater, encare-a como horas extras
que te foram dadas para estudar mais ainda.

Espero que eu possa contribuir um pouco com minha experiência.
Força e muita saúde aos candidatos e futuro candidatos!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Connectée




Novembro chegou na calmaria da espera...
a espera que já foi frenética, histéria,
ansiosa, obsessiva... é agora conexão.
Novembro chegou em trote manso, no ritmo
da valsa, um pé após o outro, sem pressa.
Com cuidado, ainda esperando, ainda com
muita expectativa, ainda com tensão.
Mas uma tensão leve, uma tensão de um fio
bem forte, bem firme.
Só mais 30 horas. Só mais trinta horas.
Chega a hora de cuidar da vida, não dá
mais pra ficar esperando os minutos se
passarem, como esses últimos dias.
Que venha o melhor motivo.