quarta-feira, 24 de maio de 2017

Reconhecimento


Ontem no job teve premiação dos 100 primeiros e dos 101 aos 300.
Os primeiros ganham um congresso internacional com passagem, hospedagem
e alimentação completa num resort paradisíaco e podendo levar a família pra
curtir junto, e os últimos ganham um one-day-seminar num hotel famoso do
Rio de Janeiro, com especialistas, mas o melhor de tudo foi saber que estou
muito mais bem colocada do que eu poderia imaginar e receber as mensagens
mais lindas dos meus alunos definitvamente fez meu dia se tornar um dos 
mais inesquecíveis. Eu estou numa boa fase de dedicação extensa já há quase 
um ano, coordenando eventos infantis, auxiliando em outros tipos de evento,
escrevendo para o portal e produzindo muitas coisas extras, a criatividade
já não é mais um issue pra mim. Acho que tá na hora de me dedicar ao que
para mim sempre foi zona de conforto... voltar a apresentar pesquisa nos 
eventos de ELT. Minha última pesquisa foi apresentada num 
congresso internacional rendeu muito pano para manga
e muitos emails vindos de lugares diferentes do Brasil e do mundo, 
foi sobre a teoria de Mindsets de Carol Dweck e como utilizá-la
na linguística aplicada. Foi muito interessante pesquisar e mudou a forma
como eu vejo os meus próprios conhecimentos acadêmicos.
Vamos então rumo à nova pesquisa, antes do meu novo bebezinho nascer. 

domingo, 21 de maio de 2017

Domingo

Hora a mais na cama
Café feito com amor
Bolo caseiro perfumando
Gritinhos por pulos e colos
Latidos por mais biscoitos
Amoreira caindo em fruta
Céu nublado de preguiça
Até o sol dormiu a mais
Ate agora tem orvalho frio
Dia de ver o presidente cair
Programa melhor que Netflix
Pipoca com sal e suco de uva
Diretas já para o meu país.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Imersa


Aquele momento que só sobrou pedir auxílio à Mãe Terra, para que você
consiga dar conta de você mesma morrendo de novo de pouco em pouco,
para dar lugar à nova Mãe, enterrar dessa vez a mãe de 1 para abrir
espaço, com tapete vermelho pra mãe de 2 entrar e dominar... Mãe Terra,
mãe de todas as mães, me ajuda a morrer, me ajuda a me transformar...
novamente!

Jajá chega o sétimo mês e eu continuo imersa em minha bolha particular...
Nada me tira dessa bolha, é como se fora dela eu arriscasse minha vida.
Eu preciso me proteger, eu preciso me proteger, eu preciso NOS proteger.
E fica mais difícil lidar com o peso na barriga, eu começo a me lembrar da
parte difícil da gestação, e fica difícil lidar com carregar qualquer outro peso
que não seja o meu, seja o peso literal ou metafórico. E fica difícil dormir
super pesado e super tranquila, e o que tava difícil vai virando desafio... 
e eu vou me lembrando, mas é tudo tão lento, tão sabiamente lento que dá
tempo para adaptar, planejar pedidos de socorro suaves e trabalhar o psicológico
para a parte mais difícil e dolorosa: O DELEGAR FUNÇÕES a terceiros e 
ter que admitir que não vou dar conta de tudo, muito menos de me manter 
sentada no trono de control freak da rotina que tenho com minha filha...


nem quero pensar no parto nesse momento, mas já tenho que pensar na fisioterapia
da pelve. Nem quero pensar em outra pessoa buscando minha filha na escola,
mas já tenho que me imaginar com um ser pendurado no meu seio muito 
tempo do dia e eu tendo que admitir que não vai rolar de sempre serem os 
mesmos 30 minutos até a escola dela que vão mandar no horário do meu
filho mamar. Helena não teve horário pra mamar, era livre demanda por 
escolha de estudo, comprovação científica e desejo interno, não posso querer
diferente pro Leonardo, não é justo com ele, eu preciso poder estar livre de
volantes cronometrados e rotas determinadas, eu preciso não carecer de 4 rodas 
ou duas, só dos meus próprios pés, pelo menos nos primeiros meses do meu filho.


Vai doer, eu amo minha rotina com ela, vai doer ter gente pra me ajudar 
de dia, vai doer não poder dar todos os banhos dela de todas as manhãs, vai doer
serem outras pessoas da família a pentear o cabelo pra escola, escolher o 
uniforme mais adequado para o dia... vai doer não fazer a lancheira sempre,
vai doer e eu to morrendo de medo... mas tenho dias pela frente que vão me
auxiliar a mentalizar o melhor pra ela, o melhor pra ela é a minha vontade de 
que ela esteja amparada, cuidada e amada por mim SEMPRE que der e por 
vários outros sempre que der também. Quanto mais amor pros meus, melhor.
Control Freak Nina, eu vou te demitir em breve, só estou tentando descobrir
a melhor forma de fazer isso. Não posso te destruir de uma vez só, pois você
foi a melhor funcionária de todas na minha vida. Nesses últimos 3 anos, você
salvou todas as nossas empreitadas, segurou na mão de todo mundo da empresa.


Minha empresa não conhecia capacidades tão avançadas e uma resistência de 
mulher de ferro deste tamanho... talvez eu consiga te dar uma nova função, lá
no almocharifado... não sei se você vai suportar isso, tenho medo de te perder.
Tudo é tão lindo, tão limpinho, cheiroso, aromatizado, organizado, etiquetado
com você por perto... tudo é tão mais confortável sem ninguém de fora do ninho...


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Dia das Mães da escola


“Tuc, tuc, tuc,
Bate dentro do meu peito
Um coração que é só feito
Para amar a mamãezinha
Que é só minha
Que é só minha”

(é hoje, e por enquanto só sei que tem
uma garota treinando pra me derreter)




Amo demais essa garotinha sapeca.
Melhor garota!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Parto ATIVO

Não é de conhecimento de qualquer pessoa que abandonei minha 
médica do pré-natal na 40ª semana de gestação porque ela queria
me desencorajar a ter um parto normal e como ela viu que não 
estava surtindo efeito, ela começou a negligenciar nosso atendimento
nos fazendo esperar horas até o início da consulta, passando gestantes
de uma semana na frente para fechar negócio e até mesmo me 
deixando sozinha no exame do cardiotoco para literalmente o pai 
da minha filha correr atrás do bebê na barriga com um aparelho
que nunca tinha visto para monitorar os batimentos cardíacos dela.
Eu lembro bem da frase que ela disse ao fechar a porta e nos deixar
com esse desafio: "é um errinho nesse exame e você vai pra cirurgia hoje".
O exame deu certo porque sei lá como os meus batimentos desesperados
não afetaram os da bebê e porque meu amor é muito ninja e podia fazer
vários outros exames sem dificuldade. Ele acertou onde ela tava mesmo
com ela se mexendo muito e deu tudo certo, mas...
Nunca mais voltamos e fomos bater no consultório de uma outra médica
pedindo socorro, uma médica conhecida por suas práticas de parteira 
em Brasília. Contamos a história, e ela nos acolheu, conhecia a minha
médica e disse que não era surpresa, que de vez em quando ela deixava
a vida pessoal e as próprias frustrações afetarem o atendimento com suas
pacientes. Por acaso nos contou que a minha ex-médica foi orientanda
dela na especialização em parto humanizado. Dra Jussara Pasquali nos
salvou de muita coisa ruim com a outra médica e ela foi a escolhida 
para nos atender novamente agora na minha segunda gestação. Eu tenho
um relacionamento de muito carinho e ternura com ela, e na última 
consulta ela me indicou um livro que eu to simplesmente amando e que
está me ajudando muito a preparar o campo para o parto, que nunca é o
mesmo, que nunca é fácil, que sempre é transformador. Recomendo:


Reler sobre um pouco do que fiz para conseguir ter meu parto
normal, e ganhar mil novas dicas para facilitar o segundo é uma 
maravilha curativa!

terça-feira, 2 de maio de 2017

Equilibrar

Sempre tenho uma lista mental de prioridades na minha cabeça.
Dessa vez não é diferente, mas a gravidez definitivamente me demanda
uma lista enorme de execução de tarefas, à qual preciso me adaptar
rapidamente, caso contrário, me perco. São consultas do pré-natal
que devem ser agendadas até o final da gravidez, levando em conta
feriados, outros compromissos, meu trabalho e eventuais reuniões,
reuniões de pais, eventos das crianças, dos adultos, dos adolescentes,
apresentações de trabalho, treinamentos presenciais e online, textos 
que escrevo para o portal da escola no auge da minha eventual criatividade,
que vez por outra dá as caras aqui e não fico quieta enquanto não escrevo.
Fora as consultas, os exames... ah, os exames, ecografias morfológicas, 
gestacionais, ecocardiogramas fetais, exames de sangue e urina de cada
trimestre, coleta de materiais para investigações no terceiro trimestre...
além disso tem os exercícios físicos na academia para controlar o peso
e no terceiro trimestre, na verdade, um pouquinho antes, a tal da 
fisioterapia da pelve. Ainda tento buscar tempo para ler, me informar e 
me fortalecer a alma com recursos bibliográficos. Isso é muito sincero
e orgânico da minha pessoa, realmente funciona para mim com qualquer
assunto de ordem pessoal, me torno muito mais fortalecida e apropriada
seja do meu corpo, da minha maternidade, do meu trabalho de parto, das
minhas vontades, dos meus filhos, das minhas escolhas. Chame-me de 
influenciável, além de ser isso mesmo, também adoro ouvir histórias de
outras pessoas na mesma condição que eu e a maioria desses livros de 
organização e fortalecimento pessoal trazem narrativas irresistíveis que
te fazem ter calma se algo acontece comigo que já li num livro antes.

Mas tem tanta coisa que eu queria contar aqui, tanto detalhe, tantas coisas
novas na vida da minha pequena toddler... tanta coisa deliciosa que descobri
e que faço com ela e ela adora, é tão divertido brincar com os quadros de 
conquistas da BBDU, ela fica tão feliz, encara tudo como uma grande 
aventura, livros incríveis que garimpamos sempre pra ela e com ela na 
Livraria Cultura, atividades que inventamos com ela no jardim de casa...
a experiência de morar numa casa e não em um apartamento... ainda não
superei o encantamento. Piscininha, banho de mangueira, ela cuidando das
plantinhas com 2 aninhos de idade, bolas de sabão, plantar com ela, pintar
lá fora, correr, fazer treasure hunt no jardim com pistas, tantas coisas que 
causam aquela felicidade nela que me realiza por dentro... Essa fase dela 
e mais o segundo trimestre da gravidez, agora que já passei da metade dela,
ta MUITO DELICIOSO, e eu to numa alegria grande INTERNA. apesar 
da tristeza ao ouvir sobre os conflitos indígenas no Maranhão, ao ouvir o
presidente (chamo isso de presidente? certamente não colocarei maiúscula 
por uma questão de respeito ao meu sentimento) falar sobre o Dia Internacional
da Mulher, ou sobre a Reforma da Previdência porca e hipócrita no Dia do
Trabalho. 

É meu mundo se acabando fora de mim, meu país, minha nação, e um mundo 
se formando sem controle dentro da minha barriga, controvérsia maior não há.
É preciso equilíbrio e eu não acho nem um pouco fácil ser equilibrada... não mesmo.

quinta-feira, 30 de março de 2017

O tempo tá voando

E eu já estou quase na metade da gravidez.
Léo, meu filho, segura as pontas aí que você
tá se desenvolvendo mais rápido do que a 
mamãe e o papai estão se preparando pra sua
chegada... estamos com 1/4 do caminho andado
em termos de preparação, muito em breve ao 
menos o seu quarto vai estar adaptado para te
receber, já a fisioterapia da pelve, as roupinhas
lavadas, toalhas, lençóis, fronhas, cobertor de
neném e paninhos de boca... nada! 

E ainda tenho que organizar esse chá de fralda!
Calma, vai dar tempo de tudo.