quarta-feira, 20 de maio de 2009

me perco no seu orvalho


tenho saído todas as manhãs pro parque...

como um ritual, todo o processo se repete em cada manhã.

tiro o baby doll, visto calcinha, calça quentinha, top, camiseta...

meias gostosas, e o meu tênis super tech!


saio, giro a chave pra fechar a porta de casa.

paro, giro a chave pra abrir a porta do parque.

tranco o cadeado com a chave rosa.

pronto. a partir disso começo a me perder.

lembro que a sua chave é de girassol.


ando, me lembro de como vc anda.

respiro, rio sozinha do jeito que vc suspira.

alongo, me lembro de algum comentário que vc fez sobre alongar as costas.

vejo um passarinho a meio metro de distância,

me lembro que vc sempre pede pra eu te ensinar os nomes dos pássaros.

começo a caminhada. me lembro da gente andando de mãos dadas.


depois de 5 minutos aumentando o ritmo, começo a correr.

me lembro que vc corre muito rápido quando eu te chamo.

depois de 2 minutos correndo eu já estou suando.

me lembro que vc diz que suar é o que prova que vc ta se exercitando mesmo.


me toco que desde que eu saí de casa eu estou pensando em vc.

e vc saiu às 7:30 pro trabalho, aposto que ta com a cabeça totalmente nele.

digo pra mim mesma que isso é um absurdo, que eu tenho que pensar em mim.

e me ligo que eu já parei de contar os minutos da caminhada pra intercalar com os da corrida.


sai da minha cabeça, cara, eu tenho tanta coisa pra pensar!

mas como um vício, um entorpecente, vc ta ali dentro

me perdendo, me gastando, me dando o maior prazer das manhãs:

as minhas lembranças...

terça-feira, 19 de maio de 2009

conclusão


hj posso dizer que eu to em paz,

que nenhum fantasma me assusta mais.

e eu não sabia se um dia os fantasmas me deixariam em paz.



hj posso dizer que não tenho medo de estar

fazendo alguma coisa errada.

e eu nunca achei que fosse ter essa certeza.



hj posso dizer que minhas péssimas

escolhas valeram muito a pena.

e eu não sabia que teria essa prova algum dia.



hj posso dizer que amizades que se foram

realmente não têm nem tinham nada a ver comigo.

e meu deus, como eu sofri por duvidar disso...



hj posso dizer que a alma forte e vigorosa

que eu carrego vale cada fato passado.

e eu nunca achei que nada da história iria fortalecer nada.



hj posso dizer que o destino me provou

que tem coisa que acontece que não tem jeito.

e eu não acreditava em destino tinha um bom tempo.



hj posso dizer que eu fui uma menina entregue que não tinha nada

e de repente o mundo se dispôs na minha mão, como um presente.

e eu tenho certezas, vida tranqüila, saúde, conforto e um grande amor.



hj posso dizer que eu era insegura sobre quem eu era...

e que não me restam dúvidas sobre quem eu fui e hoje sou o que gosto de ser.

e a vida tem escolhas difíceis, que não são programadas.

terça-feira, 12 de maio de 2009

live life given now, tomorrow can wait!


porque essa é a música da semana!