segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O verão chegando...


"Vandredi swa,lekòl lage
Fòk m al lan mache, al chèche kokoye
Si mwen pa jewnn, manman m ape joure m
Woy Jesika, fòk male tanpri lage m

Manman m vle fè on boutèy kremas
E ou konnen s on granmoun ki pès
Li vle m brase dlo kokoye a
Jouk li dous, jouk li pwès
Doudou m lan ou konnen m a vle kite
ou san m pa fè ou dous cheri
Gade lan pòch kanson Lòki, se la wa jwenn yon piwouli

Refren

Jesika kenbe piwouli a,li rale piwouli a
Li devlope piwouli a,li gade piwouli a
Li manyen piwouli a,li karese piwouli a
Li kontan piwouli a,li souse piwouli a
Sa l fè? Li souse piwouli a,woy piwouli a...

Madmwazèl lan, Ti cheri a,Boubout lan...

Lè a vanse, solèy desann
Fòk m al fè wout mwen, mezanmi mwen
pa ka tann
Si tout machann fèmen boutik
Woy Jesika, sitiyasyon m ap vin kritik

Fòk m al chèche on boutèy kleren,
lamé vle met tout moun lan wòy yo
Fòk m achte de twa mòso pen,aswè an
ap dòmi bò dlo
Cheri ou konnen sa k pa m se pa ou,
anba solèy anba lapli
Men aswè a kinnanm mwen an,sèl sa ki
pa m s on piwouli

refren

Jesika kenbe piwouli a,li rale piwouli a
Li devlope piwouli a,li gade piwouli a
Li manyen piwouli a,li karese piwouli a
Li kontan piwouli a,li souse piwouli a
Sa l fè? Li souse piwouli a,woy piwouli a...

Jesika,Couboulout mwen an,
madmwazèl lan...

Siwèl vokal
Mezanmi gad longè on piwouli, gad gwosè on piwouli
Gad lagè on piwouli, gad jan l renmen
piwouli
Li gen lontan l pa wè piwouli, li bliye l
te dous konsa
Piwouli s a men, se la raj ooo
Li ka dire pase maryaj ooo
Li ka sikre pase on siwomyèl
S on bolewo anba tonèl
Pou ta fini l, fò w t a gen fyèl
li ban m yon sant koko chanèl
Li cho pase on te sitwonèl
Pa gen tankou l s on bèl siwèl

Bon jan siwèl

Ban m chenn pou m vire

Woooooooo...

Bidi bidi bidi bidi bidi m bi m bow
Zi m bidi m bi m bi m bow
Bidi m bi m bi zam bi im bow
Ba li zam banm bidi m bi m bi m bow

Koda

Konpa lòki s on kremas kape brase
S on koulèv k ap derape
Yon tchaka k ap brase ren l
S on mayimoulen k ap moulen
Yon labouyi k ap bouyi
S on akasan as bobori
S on sòspwa k ap woule sou on diri..."
(Luck Mervil)

domingo, 29 de novembro de 2015

Pé do meu Samba


"Dez na maneira e no tom,
Você é o cheiro bom
Da madeira do meu violão
Você é a Festa da Penha,
A Feira de São Cristóvão,
É a Pedra do Sal
Você é a Intrépida Trupe,
A Lona de Guadalupe,
Você é o Leme e o Pontal

Nunca me deixa na mão
Você é a canção que consigo
Escrever afinal
Você é o Buraco Quente,
A Casa da Mãe Joana,
Você é Vila Isabel
Você é o Largo Do Estácio,
Curva de Copacabana
Tudo o que o Rio me deu!

Pé do meu samba
Chão do meu terreiro
Mão do meu carinho,
Glória em meu outeiro
Tudo para o coração
De um brasileiro"

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Saudade do Dia dos Namorados

Que bom que tem data especial chegando!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Prateleira hipócrita do "criar filhos"

É incrível.
A única coisa que se consegue fazer quando se cria filhos,
é basicamente, somente o que conseguirmos,
e tudo bem, até certo ponto, porque não existe
nada que o filho vai adquirir dos pais além de PERSPECTIVA,
os filhos não são cópias dos pais, ele decidem aproveitar o que serve,
decidem fazer ao contrário o que não foi bom pra eles, enfim,
eles PENSAM SOZINHOS durante a vida uma infinidade de vezes.

Pensando assim, acho que é simples, e é só isso. 
Eu bem que gostaria de mudar meus defeitos para criar
minha filha, mas as duas únicas possibilidades em relação
a isso não vão escondê-los dela em nenhum aspecto:
1. posso investir em melhorar no que erro muito
2. posso tentar mascarar os meus erros como outra coisa
e no momento,  enhuma dessas opções me seduz o suficiente.

Os filhos, sejam eles bebês, crianças, jovens ou adultos,
ACESSAM OS PAIS no que os pais têm de mais íntimo: a psiquê.
Ela está ali ao alcance deles, volátil, disponível.
Em 9 meses da minha filha, eu já pude perceber isso muito
claramente, e hoje acesso a minha própria relação com a psiquê
dos meus pais de forma muito mais tranquila e com mais amor,
isso graças à maternidade que estabeleci com minha filha.

Apesar de ter compreendido minhas limitações um tanto quanto
cedo na minha maternidade, eu não deixei de ser curiosa, nem um
pouquinho, e por isso, já que eu cobri o suficiente para mim mesma 
na literatura de gravidez, parto, puerpério, psicologia da gestante,
maternidade no Ocidente, maternidade no Oriente, 
tipos de parto, pós-parto, psicologia jungiana, 
amamentação, fusão mãe-bebê e pediatria.
(entenda-se aqui que informação nessa parte prévia podia
influenciar um pouco mais as minhas escolhas, pois se tratava
muito de processos corporais e situações 
concretas a serem alcançadas para o sucesso fisico-emocional)

Ando por agora querendo investigar o que dizem os loucos,
quer dizer, o que dizem os teóricos de áreas diversas,
sobre a criação de filhos. Este ano morreu Içami Tiba.
Antes de ele morrer eu iniciei a leitura de seus livros...
Muitas partes eu aproveitei para lembrar minha infância,
outras partes eu circulei e escrevi "sangue de barata"
e em outras eu simplesmente tive que colocar
o livro de volta na estante e só reabrir depois de pensar muito.
O que ficou: eu realmente só vou conseguir ser eu mesma.

Resumidamente, é essa a minha posição atual. 
Eu vou investigar essa literatura dos psico-mega-protetores,
porém sem nenhuma esperança de que algo em mim mude,
sendo assim, apenas pelo bel prazer da leitura e pela minha irritante
curiosidade mais do que aguçada sobre o que pesquisam os humanos.
Realmente não consigo mudar muito, como não quero deixar
de ler, mas também não to afim de ficar me sentindo só culpada
na vida, porque eu tenho outros afazeres a cumprir além de 
ficar somente me avaliando e tentando proteger minha cria
dos defeitos da mamãe, dos problemas e das dores da vida
(do verbo: vamos fingir que isso seria possível SQN),
Assim como no desenho do Show da Luna, "eu quero saber:"
O que dizem as pessoas que querem proteger pais e filhos
de relações mega complicadas entre familiares, cheias de marcas,
(traumas? mimimis?) cheias de nostalgia, boas memórias,
tudo de bom e de ruim, afinal, é a vida, não?

Comecei pelo Içami Tiba por indicação de um familiar
da família do meu marido, e agora estou tomando fôlego
para adquirir a paciência necessária para entrar no mundo
dos que pedem aos pais "Por favooor, deixem as 
crianças se ferrarem em paaaaaaz!!!"
Pareceu um bom jeito de começar, até porque eu acho 
que um dos meus maiores defeitos é ser ansiosa, não
só na maternidade, mas em casa, no trabalho, sozinha, 
no amor, na vida... momentos de paz mental são raríssimos
e são sempre memórias inesquecíveis para mim, que sempre
to correndo contra o tempo achando que to atrasada.
Cutucar-me pela ansiedade maléfica me parece um ótimo começo.
Podem entrar, Carol Dweck e Jessica Lahey.
A mente é vossa.
E podem reparar a bagunça, eu já me assumi.



domingo, 15 de novembro de 2015

A quem interessar, possa


O site da Prefeitura de Mariana - MG
publicou duas contas abertas para receber
doações de quem quiser ajudar as mais de 600
pessoas desabrigadas (no final desta imagem) 
Quem tiver interesse em doar coisas, 
procure a Cruz Vermelha da sua cidade
que eles informam como fazer isso.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Passa voando


Voando para apagar a vela do bolo
que a mamãe fez com muito amor

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Oceanografia



vida de mãe é ciência do mar
uma hora tudo é riso e canto,
 rebento calmo, pleno, saciado,  
nem sinal das ondas da preamar
em seguida, desperta o pranto,
mudou o clima, mudou a lua,
é o cotidiano do ciclo das águas,
o choro enche o mar dos olhos, 
ondas derrubam pescadores,
que morrem ébrios e desatentos,
no vasto colo azul de Iemanjá...
o choro se seca na orla da praia
o colo da mãe é pro bebê, beiramar
mãe é quem acalma as águas
e com um só olhar, ordena à lua:
que se vá e mande subir a aurora



(NR 10/11/15)

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Reflex


"What is history? An echo of the past in the future;
a reflex from the future on the past,"
(Victor Hugo)

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Lavando as almas

Chalé 





Cachoeira dos Cristais


Cachoeira São Bento


 

Café Vanilla




Cachoeira das Loquinhas