terça-feira, 30 de agosto de 2011

alô, produção!



Produtividade em alta esse ano!
Benzadeus, que continue assim!
Partiu mais e mais e mais e mais!

Em breve posto uns beliscos por aqui.

sábado, 27 de agosto de 2011

viva a CENA!



"A tragédia e a sátira são irmãs e estão sempre de
acordo; consideradas ao mesmo tempo recebem
o nome de VERDADE"

(Dostoievski)





quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mãe de cima



"Mãe de ouro,
da beleza e do amor,
Senhora do mais puro Axé,
Valha-me hoje e sempre"

falem mais e mais, Shohat e Stam


Se eu pudesse dividir o mundo em 2, moraria na parte
onde a leitura desse livro é obrigatória antes de qualquer estupro cultural.
Livro bom para tomar cuidado na hora de pagar pau 
de um dos "sistemas cruéis" mais mocados e enfiados goela abaixo
desde que somos pequenos, talvez desde o momento em que nascemos
e eu só tinha desconfiança dele, mas muito leve.
A partir de hoje para mim,
O MUNDO NÃO SE DIVIDE, 
muito menos em "Europa e os outros"
isso é só uma idéia que metem na gente por todos os nossos mais
sensíveis orifícios...

praticar que é bom, nada...


Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (...) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca."
(Antoine de Saint-Exupéry)

terça-feira, 23 de agosto de 2011

"Amor e Seu Tempo"



"Amor é privilégio de maduros
Estendidos na mais estreita cama,
Que se torna a mais larga e mais relvosa,
Roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
O prêmio subterrâneo e coruscante,
Leitura de relâmpago cifrado,
Que, decifrado, nada mais existe

Valendo a pena e o preço do terrestre,
Salvo o minuto de ouro no relógio
Minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
Depois de se arquivar toda a ciência
Herdada, ouvida. Amor começa tarde."

(Drummond)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

é você



Lindo é você, sorrindo ou ranzinza,
de manhã ou à noite, quando chega
do trabalho ou de férias, de short ou
camisa social, com suas mãos de artista
ou seus pés de praia... Com essa boca
macia, e esses lábios secos e molhados.
Te beijo de qualquer jeito porque te 
amo em qualquer horário, ocupada 
ou no feriado, na seca ou no verão, no
parque ou na sala da nossa casa, ao 
som de caetano ou dos novos baianos.

Vem que eu te amo.

sábado, 20 de agosto de 2011

Aventura teórica



E foi então que no meio da minha fuga, 
todo aquele frio no estômago devido à perseguição,
eu corria com muito mais do que todo o meu fôlego.
Eu, meu caderno de teoria e crítica literária e eu.
Não pude mais correr, havia um beco sem saída no
meu caminho. Vi um braço ossudo e branco, quase sem pelos
se estender por entre uma fresta, me oferecendo uma mão.
Segurei seu pulso e ele segurou o meu. Fui puxada com
brutalidade. Então, caminho por um corredor escuro, que me
faz ver como pode vir a ser a vida de uma pessoa cega.
Porém, completamente confusa em relação aos sons.
Escuto a KGB correndo e gritando, mas não sei por onde eles
estão vindo me buscar. Sinto conforto, calor, e sento perto
de uma pequeníssima fogueirinha no canto do quarto. 
O homem que me ofereceu ajuda é um velho narigudo de 
óculos redondinho. Graças ao fogo, reconheço: é György Lukács!!!
Ele me devolve meu caderno e meu lápis que eu deixara 
cair pelo caminho e pega seus próprios lápis e cadernos... ele me 
diz coisas que não entendo, afinal, eu não falo nenhuma das
línguas urálicas. Não importa, ele continua falando como se
não importasse mesmo eu não entender. Pela intonação e gestual 
entendo que ele não está nem um pouco feliz e que também está sendo 
perseguido. Ele abre o caderninho na primeira página. Está
escrito "Narrar ou descrever" em russo, talvez 
e em inglês logo abaixo ... em seguida, ele procura a página certa
que está lá pra frente e continua a escrever. E eu fico olhando 
para ele, tentando observar com detalhe para não me esquecer
depois, estou hipnotizada. Ele me olha de rabo de olho e fica bravo:
"Írja be a szöveget!!!" e sacode o lápis. Entendi, era pra eu
escrever também porque não sabíamos quanto tempo ficaríamos
ali naquele porão imundo e com luz. Não havia tempo a perder.
"Sim, senhor!", eu disse, e decidi NARRAR..

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O agora


E lá de cima das nuvens
eu me imagino depois de degustar um cappuccino italiano 
num autêntico e famoso café parisiense,
bem ali no meio de ao lado da vendinha vietnamita,
quando sem querer deixo cair minha luva preta
de couro sintético egípcio.

Depois de pegar a luva desse mesmo chão sujo,
pavimentado por mão-de-obra haitiana, eu cruzo
as pernas com meus lindos scarpins, de modelo
boneca, confortável para a turista passear...
made in China, igualzinho o original.

Depois de pagar a conta com meu cartão americano,
checar meu batom natureba holandês, milimetricamente rente
aos lábios, e meu cachecol de seda tailandesa, comprado numa 
de várias idas ao Coven Garden... made in Taiwan 
a 1 centavo a hora... hmmmmm!

Depois de entrar na Gare du Nord para comprar uma 
passagenzinha no Eurostar e ser atendida por um lindo
marroquino, que me olha com desconfiança por não ter
certeza de onde sou... vou até a lojinha de conveniência 
e compro jornal de um indiano que me lembra que o 
nº de estátuas da Gare é 23 e não 25 como eu pensava.

Depois de tudo isso...
você vem achar que eu quero comer seu sushi e 
beber com você uma cuba-libre enquanto espero
o seu rolinho primavera ser crocantizado no fogo
e ainda ter de ouvir suas baboseiras sobre o mundo? 
TA POR FORA! 

Senhor comissário, desce uma caipirinha com uma dose dupla de gelo,
 e faça o favor de me trazer um queijinho com orégano
para eu já descer preparada pela saída de emergência
ao saltar do alto dessa panacéia de "BOBALIZAÇÃO"!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Antonio Candido


A sua inteligência me assusta.

há 5 minutos



Há trinta minutos eu me espreguicei,
Há vinte cinco minutos me perguntei se eu deveria levantar,
Há dezenove minutos eu me levantei.
Há dezoito me arrependi.
Há dezessete eu cogitei voltar pra cama.
Há dezesseis eu deitei de novo e respirei fundo.
Há quinze senti o cheiro do seu cabelo na sua nuca quente.
Há treze minutinhos eu revirei os olhos de alegria de você estar ali.
Há doze minutos eu ri de certos medos que às vezes me batem à porta.
Há dez minutos você se virou para mim e eu vi o seu rosto lindo,
Há nove minutos você me deu uns beijos e, 
Há oito minutos eu te dei uns outros. 
Há seis minutos eu resolvi te dizer que horas eram.
Há cinco minutos começou o dia.
Há quatro minutos eu escrevo como se fosse aliviar o que
Há quatro minutos e meio me bateu... uma forte saudade.

sábado, 13 de agosto de 2011

E eis que na leitura de Antonio Candido...



me deparo com com Carvalho Júnior!!! 
Que surpresa agradável, meu amigo...

"Odeio as virgens pálidas, cloróticas,
Belezas de missal que o romantismo
Hidrófobo apregoa em peças góticas,
Escritas nuns acessos de histerismo.

Sofismas de mulher, ilusões óticas,
Raquíticos abortos de lirismo,
Sonhos de carne, compleições exóticas,
Desfazem-se perante o realismo.

Não servem-me esses vagos ideais
Da fina transparência dos cristais,
Alma de santa em corpo de alfenim.

Prefiro a exuberância dos contornos,
As belezas da forma, seus adornos,
A saúde, a matéria, a vida enfim."

Amém, Carvalho, amém, meu querido!
Que agradável visita de sua poesia 
em pleno sofá no ano de 2011!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011




"I'm a little bit of everything 
all rolled into one 
I'm a bitch, I'm a lover 
I'm a child, I'm a mother 
I'm a sinner, I'm a saint 
I do not feel ashamed 
I'm your health, I'm your dream 
I'm nothing in between 
You know you wouldn't want it any other way" 


(by Meredith Brooks - telling people about the many women in one)

Conversa com a Naiara ontem que me fez render em um dia
o que eu não rendi em um mês. Valeu, Nai! Por ontem, mas
também por hoje e por amanhã. <3

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

dps da Vívian, vc é a mais gata

UN-LESS



"But we're never gonna survive unless
We get a little crazy...
No we're never gonna survive unless
We are a little... CRAZY!" (by Seal)


como é, Dona Alanis, 
vai ficar cantando minha alma a vida toda, é?